“Tô me guardando pra quando o Carnaval chegar.”

É o que canta Chico Buarque em uma famosa canção. Mas no Brasil da pandemia, teremos que nos guardar muito mais, até podermos participar de festejos carnavalescos sem risco à nossa saúde e a dos outros. Este feriadão não-oficial em 2021 terá muita gente trabalhando. Ainda assim, haverá quem tirará uns dias de folga. Mas sem folia, já que oficialmente os festejos de Carnaval foram cancelados Brasil afora.

Sugestões literárias

Para quem estiver com horas livres nos próximos dias, selecionei três livros com temáticas diversas. Uma obra trata sobre o Carnaval do passado, outra publicação contém reflexões importantes a respeito da pandemia. Também trago como sugestão um best-seller sobre busca espiritual, em um momento no qual precisamos ter resiliência e paciência para aguardar a vacinação em massa no Brasil. 

Metrópole à Beira-Mar, de Ruy Castro

Com o subtítulo O Rio moderno dos anos 20, a obra aborda, entre outros assuntos, o Carnaval de 1919. O festejo, pós-gripe espanhola, deixou a cidade maravilhosa tomada por uma espécie de frenesi, sendo ainda hoje considerado o maior Carnaval de todos os tempos.  Ruy Castro comenta, no prólogo do livro, a respeito da sensação vivida no Rio do século passado: 

“O Carnaval de 1919 seria o da revanche — a grande desforra contra a peste que quase dizimara a cidade.”  

Em uma comparação com a pandemia do coronavírus, muitas pessoas acreditam que o mesmo acontecerá no Brasil quando tudo isso for (finalmente) coisa do passado.

Reflexões sobre a pandemia, organizado por Maria de Lourdes Borges, Evânia Reich e Raquel Cipriani Xavier

A publicação é para quem deseja se aprofundar nos aspectos filosóficos decorrentes do grave problema de saúde pública que ainda  enfrentamos. O livro, com 15 ensaios, é uma iniciativa do Núcleo de Ética e Filosofia Política do Departamento de Filosofia da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). A obra está disponível para download gratuito aqui.

Comer, Rezar e Amar, de Elizabeth Gilbert

Essa indicação é uma das minhas leituras “de conforto” deste mês de fevereiro. O livro, que deu origem a uma conhecida adaptação cinematográfica estrelada por Julia Roberts, é uma odisseia em busca do autoconhecimento. Em um verão brasileiro no qual não devemos viajar, é uma delícia percorrer as ruas de cidades italianas com a protagonista ou acompanhar seus esforços para fazer meditações na Índia. O tom está longe da autoajuda ou do encontro fácil com a felicidade, o que me agradou bastante. 

Por fim, desejo um bom Carnaval a meus leitores, seja em frente à televisão vendo desfiles de anos passados ou lendo um bom livro. O importante é manter com a saúde mental em dia e longe de aglomerações.

Imagem: Arte sobre foto de David Mark/Pixabay

Author

Flávia Cunha é jornalista há mais de 20 anos e mestre em Literatura Comparada pela UFRGS. Desde 2015, atua somente na área cultural, em projetos literários e musicais. Sua paixão pelas duas áreas virou oficialmente uma empresa em 2018. Para saber mais: www.flaviacunha.com.br

Comentários no Facebook