Diante da repercussão positiva do primeiro texto sobre obras cujo conteúdo podem auxiliar na compreensão do momento sociopolítico brasileiro, resolvemos dar espaço para nossos leitores darem mais sugestões. Teve livro indicado duas vezes, mas com explicações tão relevantes, que decidimos publicar as duas justificativas para a escolha da obra. Teve gente que sugeriu 2 livros, diante da complexidade do panorama brasileiro.

Agradecemos aos participantes das duas matérias, que demonstram ser possível debater e refletir sobre política de uma forma produtiva, construtiva e sem baixaria. E a coluna Voos Literários e o portal Vós estão abertos para novas dicas de leitura do nosso público.

As Veias Abertas da América Latina – Eduardo Galeano

“Acredito que nenhum outro joga mais luz nessa obscuridade politica/social atual quanto As Veias Abertas da América Latina, do mestre Eduardo Galeano. Essa obra mostra com uma nitidez cristalina tudo que está acontecendo aí.  Veias Abertas não só explica, aquilo faz é desenhar esse momento. O cara que não entender após aquela leitura, é caso de internação.

Gilberto Alves – agente da polícia civil, formado em Filosofia

“Apesar de Galeano se referir muito mais aos colonizados por espanhóis, mostra a origem do que chamo de nosso Complexo da Senzala. Acredito que mostra que realmente corrupção, apesar de deplorável, nunca foi o problema. A questão é que nós acostumamos aos papeis do patrão, feitor e escravo. Quando essa ordem sai do prumo nos atrapalhamos ainda mais como Nação que nunca fomos.”

Tatiane de Sousa – jornalista, repórter da Radioweb

Os Donos do Poder – Formação do Patronato Político Brasileiro –  Raymundo Faoro

“A justificativa encontra-se no título da obra, por descrever como se deu o processo de formação das elites politicas no Brasil desde a era colonial. Outro livro que me vem ao pensamento é O Povo Brasileiro, de Darcy Ribeiro. Nesta obra encontrarmos a expressão concunhadismo, que explica muita coisa sobre nossa politica.

Paulo Eduardo Szwec – cineasta

Tristes Trópicos – Claude Lévi-Strauss

“O livro trata a respeito de um etnógrafo que visitou o Brasil nos anos 1930 e desenvolveu um texto que mistura ciência a um relato literário minucioso ímpar.  O seu relato torturante é sobre algumas realidades tropicais, que contrastam a grandeza (potencialidade) com a miséria. Também mostra que as belezas paradisíacas dos países foram exauridas em seus recursos naturais e relações (des-)humanas degradantes. E, hoje, vemos no Brasil tudo isso que ele constatou nos anos 1930 amplificado.  Ainda sobre esse livro, sugiro a leitura desse texto e desse outro aqui.” 

Tiago Siliprandi Giordani – Artista, designer gráfico e professor

Reinventando o Otimismo  – Carlos Fico

“Nesse momento em que vivemos no país, há uma onda que tenta fundamentar ideias ditatoriais, que supostamente traria certa ordem ao caos vigente. No livro, Carlos Fico mostra os mecanismos de linguagem que tentam dar fundamento a essas ideias absurdas através da propaganda da época da ditadura militar brasileira.”

Tiago Siliprandi Giordani – Artista, designer gráfico e professor

Negras Raízes – Alex Haley

“No objetivo de descobrir quem é, Haley levantou todo um mural que retrata a nação americana e toda sua construção racial, e desmonta a iniquidade da superioridade racial que os escravocratas e seus modernos seguidores se atribuíam.

No Brasil,  algumas tentativas nessa busca às origens têm sido feitas, mas todas esbarram numa barreira intransponível: falta de documentação. Por determinação de Ruy Barbosa, então Ministro da Fazenda, em circular de número 29, de 13 de maio de 1891, todo o arquivo relacionado com a escravidão foi queimado para erradicar de vez a ‘terrível macha’. Com isto, o grande segmento da população brasileira, que são os negros e mestiços, ficou flutuando num grande espaço por não saber de onde veio. Quais as tribos que entraram no Brasil? A pergunta, feita por Artur Ramos no seu livro O Negro Brasileiro (1934), continua sem resposta precisa. 

Haroldo Costa, na introdução da obra

Sugestão de Kais Ismail Musa – fotógrafo

Tem outras sugestões? Comentem nas redes sociais do Vós ou escreva para flavia@vos.social e mande sua dica de leitura.

Flávia Cunha
Author

Flávia Cunha é jornalista há mais de 20 anos e mestre em Literatura Comparada pela UFRGS. Desde 2015, atua somente na área cultural, em projetos literários e musicais. Sua paixão pelas duas áreas virou oficialmente uma empresa em 2018. Para saber mais: www.flaviacunha.com.br

Comentários no Facebook