Hoje é domingo e é dia de futebol. E a gente tá nessa também é claro. Inspirada pelas oitavas de final da Copa do Mundo, proponho uma espécie de super trunfo de livros dos países classificados nessa fase da competição. Para a escolha das obras, criei o seguinte critério: escritores contemporâneos e ainda em atividade. Vamos às duas competidoras dessa batalha.

Represente da Espanha . María Dueñas, 54 anos

Minibiografia . A escritora espanhola era professora universitária especializada no estudo da língua inglesa até consagrar-se como uma romancista mundialmente famosa. Atualmente, suas obras já foram traduzidas para mais de 35 idiomas e é um dos destaques literários espanhóis da atualidade.

Livro escolhido para essa batalha . O Tempo entre Costuras, publicado em 2009.

Motivo da escolha: O livro retrata a guerra civil espanhola, ocorrida entre 1936 e 1939, sob a perspectiva feminina. A história da protagonista Sira Quiroga é entrelaçada com acontecimentos e histórias reais, o que dá mais força ao relato.

Bônus: O enredo do livro virou uma série em 2013, com figurinos e elenco que fazem jus à obra original. Para os interessados em conferir a adaptação, o seriado está disponível na Netflix.

.

Representante da Rússia . Victor Pelevin, 55 anos

Minibiografia: O escritor é um dos autores russos contemporâneos com mais representatividade mundial desde o fim da União Soviética. Com inúmeros prêmios em sua trajetória literária, sua obra é reconhecida por mesclar a cultura pop com elementos de ficção científica.

Livro escolhido para essa batalha . A metralhadora de argila, lançado em 1996.

Motivo da escolha: Os delírios oníricos em que o protagonista da obra está imerso acaba sendo a base de uma reflexão sobre os dilemas russos enfrentados com o fim do regime soviético. No fim das contas, os questionamentos apresentados no enredo são universais e servem como ponto de partida para reflexões pessoais dos leitores.

Bônus: Os delírios do protagonista são intercalados por alucinações relatadas por outros personagens. “Nada existe de verdade, tudo depende daquele que olha”, é um das frases mais emblemáticas desse livro.

Flávia Cunha
Author

Flávia Cunha é jornalista há mais de 20 anos e mestre em Literatura Comparada pela UFRGS. Desde 2015, atua somente na área cultural, em projetos literários e musicais. Sua paixão pelas duas áreas virou oficialmente uma empresa em 2018. Para saber mais: www.flaviacunha.com.br

Comentários no Facebook