A pandemia, após 2 anos, tem contornos de rotina. Mesmo quem ainda prossegue – com razão – mantendo as medidas sanitárias recomendadas pelas autoridades de saúde, já automatizou a máscara e o álcool em gel. Dessa forma, os conscientes são um resiliente exército de mascarados procurando sobreviver às agruras do coronavírus, ainda convivendo com perdas e lidando com os descrentes na manutenção dos cuidados. Diante de um cenário tão desafiador, pode parecer mesquinho falar em necessidade de produção literária. Porém, é inegável a vontade de alguns autores extravasarem, através da escrita, o que sentiram durante as restrições mais rígidas impostas pela pandemia, principalmente em 2020.

Catarse para traumas?

Mas será que os leitores querem consumir esse tipo de literatura sobre um passado tão recente? Nesse sentido, o quanto publicar livros com temáticas pandêmicas vai ajudar no entendimento do que passou? Em termos práticos, sabemos que eventos traumáticos inspiram produções artísticas. A Segunda Guerra Mundial e a ditadura militar brasileira, por exemplo, são fontes aparentemente inesgotáveis de estímulo criativo para autores e roteiristas. 

Esperar ou publicar?

Resta saber se seria ou não mais adequado aguardar um período de elaboração do luto coletivo para tocar em um tema tão sensível. Por outro lado, vivemos em uma época de extrema velocidade no consumo da informação. Sendo assim, talvez escritores devam mesmo publicar agora livros a respeito da pandemia, para demonstrar a relevância do assunto e não o deixar cair no esquecimento.

Já que, afinal de contas, em tempos de fake news e desinformação, precisamos de publicações confiáveis, para evitar que as próximas gerações caiam na conversa fiada de que o coronavírus foi uma grande conspiração mundial. Uma mentira. Uma falácia. E que as pessoas que ficaram confinadas em casa durante o ano de 2020 foram apenas covardes, e não solidárias com a saúde coletiva.

Duas sugestões de livros para refletir sobre os efeitos da pandemia

O Projeto Decamerão: 29 Historias da Pandemia A coletânea conta com nomes como Margaret Atwood, Mia Couto e Charles Yu. Os contos foram publicados originalmente no The New York Times, como uma forma de homenagem histórica a esse difícil momento enfrentado pela humanidade.  

Os impactos sociais da Covid-19 no Brasil, populações vulnerabilizadas e respostas à pandemia – O livro, lançado pelo Observatório Covid-19 Fiocruz e a Editora Fiocruz, demonstra, com informações técnicas e precisas, como os efeitos de uma pandemia vão muito além da doença em si. O e-book é disponibilizado gratuitamente, na rede Scielo Books.

Imagem: Dan Counsell/Unsplash

 

Author

Flávia Cunha é jornalista há mais de 20 anos e mestre em Literatura Comparada pela UFRGS. Desde 2015, atua somente na área cultural, em projetos literários e musicais. Sua paixão pelas duas áreas virou oficialmente uma empresa em 2018. Para saber mais: www.flaviacunha.com.br