Nesta semana, Anitta, o Twitter e o inominável. 

A gente vai falar de Anitta porque a cantora tomou uma decisão a partir do que ela considera ser a estratégia da campanha de Jair Bolsonaro. Ela bloqueou o  presidente no Twitter. E é uma oportunidade pra gente falar sobre como os candidatos vão usar as redes sociais na eleição que se aproxima.

.

Anitta postou o seguinte no Twitter: “Meti logo um block pra esses adms dele não ficarem usando minhas redes sociais pra ganhar buzz na internet”

.

Segundo ela, a estratégia de Bolsonaro mudou. Ela diz que eles estão com uma equipe de redes sociais mais jovem e descolada para, justamente, passar a imagem de ele, Jair Bolsonaro, seria assim. Descolado. Ok. A ideia seria fazer o público esquecer os problemas do governo usando e abusando de piadas e memes que façam ele parecer bonachão.

Anitta argumenta que essa estratégia transforma manifestações negativas em deboche e, assim, o eventual artista que criticar Bolsonaro é mostrado como agressivo ou “mimizento” e ele, em contrapartida, vira o cara legal.E isso, é claro, gera um senso de identificação.

Será que é por aí? Já é possível ver essa estratégia sendo posta em prática? É isso que a gente vai discutir hoje, além de Fake News e o encontro de Aécio Neves, Eduardo Leite e Paulinho da Força. Eita. Força, mesmo.

A apresentação é de Geórgia Santos. Participam Flávia Cunha, Igor Natusch e Tércio Saccol. Você também pode ouvir o episódio no SpotifyItunes e Castbox

Author

Jornalista, radialista, cientista política e uma viajante inveterada. Tem uma relação de amor com a comida. Gringa, não recusa um vinho e uma polenta. Fez da viagem um objetivo de vida. Lisboa é um dos seus lugares preferidos no mundo, embora as melhores histórias estejam na Itália.

Comentários no Facebook