Li um artigo maravilhoso no Man Repeller que me inspirou a fazer um experimento: renomear aquilo a que chamo de falhas. O título é bastante explicativo: Maybe the Secret to Embracing Your Flaws Is Renaming ThemTalvez o Segredo para Aceitar suas Falhas seja Renomeá-las (tradução livre). Gostei da ideia. E vou começar pelo começo.

.

A partir de agora, quando se trata das características do meu corpo, não tenho falhas. Tenho COISINHAS

.

Tirar a carga do nome pejorativo é um passo enorme no caminho da aceitação. Há pouco tempo, falei aqui sobre minhas inseguranças e a decisão de aceitar meu corpo e amar meu corpo. E parar de chamar os traços do meu corpo de “falhas” é um passo enorme. Então, vou renomear todas as minhas “coisinhas.”

Adorei algumas das sugestões do texto. Aquele bigodinho chato virou “angel hair“, pêlo ou cabelo de anjo. Gente, pêlo todo mudo tem, algumas mais, outras menos, mas todo mundo tem. Bora largar os pelinhos de mão. Outra ideia boa é o novo nome para as olheiras que agora se chamam “nature´s contouring“, ou contorno de natureza. As rugas são celebrações.

.

O meu favorito, no entanto, é o nome novo para os cabelos com frizz:

CABELOS EM FESTA

.

Muito mais adequado, não é mesmo. Mas, apesar de gostar dos nomes sugeridos por Amelia Diamond, acho que parte do processo de cura é que cada uma renomeie suas coisinhas. Nossa cara tem que estar nessa atitude. Então arrisquei e agora as coisas estão mais leves por aqui.

Esse foi um começo, um ensaio. Mas há mais inseguranças e muitos outros nomes para inventar. Me ajuda?

Geórgia Santos
Author

Jornalista, radialista, cientista política e uma viajante inveterada. Tem uma relação de amor com a comida. Gringa, não recusa um vinho e uma polenta. Fez da viagem um objetivo de vida. Lisboa é um dos seus lugares preferidos no mundo, embora as melhores histórias estejam na Itália.

Comentários no Facebook