No dia primeiro de agosto, chegamos ao Dia de Sobrecarga da Terra. Isso significa que nós já consumimos uma quantidade de recursos naturais equivalente ao total de recursos que o planeta pode produzir em 2018. Pelo restante do ano, estaremos consumindo além da capacidade de renovação da Terra. O levantamento é realizado pela Global Footprint Network (GFN), uma organização não-governamental que desenvolve a pesquisa na área da sustentabilidade. Viveremos em dívida com a natureza pelos próximos cinco meses. Bem, na verdade estamos em dívida com a natureza há muito tempo, mas a velocidade com que estamos aumentando esse déficit é assombrosa

.

O Dia de Sobrecarga da Terra é lembrado todos os anos desde 1970 e, naquele ano, o consumo de recursos naturais só superou o volume de renovação no dia 29 de dezembro

.

A organização indica que há dois problemas que são cada vez mais recorrentes na sociedade e são os principais responsáveis por chegarmos esse ponto: o consumo e o consequente desperdício. O consumo excessivo faz com que a gente compre muito mais do que a gente necessita. E isso serve para todas as esferas da nossa vida. Compramos muita roupa, muita comida, muita bugiganga. Obviamente, o resultado também é desperdício, principalmente de comida. Segundo dados da GFN, um terço de toda a comida comprada em supermercados acaba na lata de lixo.

No Brasil, a situação é pior do que a média do planeta. Se todos vivessem como os brasileiros, o Dia de Sobrecarga da Terra seria em 19 de julho. Nos Estados Unidos, um dos piores com relação à demanda natural e consumo, a data cairia em 15 de março.

.

Qual a sua Pegada Ecológica?

A Global Footprint Network acredita que nós não podemos controlar aquilo que não podemos medir. Por esse motivo, a Pegada Ecológica é a única métrica de sustentabilidade para indivíduos, governos e negócios. Mas o que é isso, afinal? A expressão Pegada Ecológica vem do inglês ecological footprint e mede a demanda humana por recursos naturais. A grosso modo, são os rastros que nossos hábitos deixam no ambiente, a quantidade de recursos necessários para suportar as pessoas ou a economia.
A GFN tornou possível, então, que as pessoas meçam suas próprias pegadas e determinem o seu dia de sobrecarga.
.

Quantos planetas seriam necessários se todo mundo vivesse como você?

.
O primeiro passo pode ser difícil, mas você pode fazer o teste aqui. Está em inglês, mas as perguntas são as seguintes: Com que frequência você consome produtos de origem animal?; Quanto da comida que você come é não-processada, não embalada e produzida localmente?; Como é a sua casa? Casa, apartamento, condomínio de luxo?; Com que material sua casa é construída?;

Quantas pessoas vivem na sua casa e qual o tamanho do espaço?; Você tem eletricidade em sua casa? Quão eficiente é em termos de energia?; Quanto da energia da sua casa provem de fontes renováveis?; Comparando com os vizinhos, quanto lixo você produz?; Quantos quilômetros você anda de carro ou moto? Como motorista ou passageiro; Qual a média de economia de combustível dos seus veículos?; Quanto você anda de carro, você pega ou oferece carona?; Quanto você usa o transporte público?; Quantas horas você voa por ano?

.

Eu fiz o teste e fiquei triste, bem triste

De acordo com esses parâmetros, o meu Dia de Sobrecarga seria 25 de junho e, se todos vivessem como eu, precisaríamos de duas Terras

.

E olha que eu sou o tipo de pessoa que compra comida na feira e não dirige. É verdade que algumas dessas coisas, na maioria das vezes, não estão ao nosso alcance, como o material com que nossa casa é construída. Além disso, a pegada ecológica é fruto também da estrutura social e governamental, como mobilidade, assistência médica e social, rodovias e infraestrutura. Mas outras são fruto de nossas escolhas, como o uso de energia renovável em casa, produzir menos lixo e consumir menos produtos de origem animal. E aqui eles não estão entrando na questão de proteção dos animais, mas a quantidade de recursos naturais consumidos para a criação. O projeto Cowspiracy mostra, por exemplo, que é preciso 2500 galões de água para produzir um hambúrguer de 500g. São DEZ MIL LITROS DE ÁGUA consumidos para produzir um hambúrguer de meio quilo.

Eu gosto de pensar que faço muito pelo planeta, que consumo pouco dos recursos naturais, mas não é verdade. Ainda há muito por fazer. Muito. Curiosamente, enquanto escrevo essa coluna começa a tocar Papagaio do Futuro, com Geraldo Azevedo e Alceu Valença, no Spotify. “Eu fumo e tusso fumaça de gasolina.”

Geórgia Santos
Author

Jornalista, radialista, cientista política e uma viajante inveterada. Tem uma relação de amor com a comida. Gringa, não recusa um vinho e uma polenta. Fez da viagem um objetivo de vida. Lisboa é um dos seus lugares preferidos no mundo, embora as melhores histórias estejam na Itália.

Comentários no Facebook