Uma amiga muito querida dia desses me confidenciou que estava triste por ter sido posta contra a parede por não querer o segundo filho. A Cunhada – que não tem filhos – disse para ela que era muito egoísmo criar um filho só.

.

Fiquei pensando sobre ter dois filhos. O segundo filho traz uma mudança estrondosa pra família

.

O primeiro já traz, claro. Mas, numa situação confortável,  um tu consegue dividir com o companheiro. Se vocês tão passeando e a cria precisou de colo, reveza. Se tem dois, os dois estarão com o colo ocupado. Dei um exemplo bobo, mas é isso que acontece com tudo. É muito lindo a relação de irmãos. É lindo ver o amor multiplicar. Mas não é fácil. Vejo muita gente querendo ter o segundo filho pelos motivos que a cunhada falou. Muitas!

.

Tenho conversado com muita gente, muitas famílias, muitas mães. E vejo gente que tem/ teve o segundo filho, pra quem a vida vira um inferno

.

A questão financeira é muito importante. Não dá pra pensar que a gente não vai dar bola pro colégio. E vai precisar de roupa, de comida, de sapato. Médico, plano de saúde. Brinquedo. Lavar roupa, pentear… Vai sim. Conheço muitas famílias com irmãos que não se falam. E muitas famílias com um filho só que estão sempre atentos às necessidades desse filho. De todos os tipos!

O mundo ia ser mais leve se cada um cuidasse da sua vida. Ter um filho é lindo. Ter dois, também é. Não ter, é uma opção. Que pode ser linda também. Qual a quantidade ideal de filhos? Não existe.

Raquel Grabauska
Author

Ela respira teatro. Atriz, diretora, produtora. Coordena o grupo Cuidado Que Mancha e o Espaço Cuidado Que Mancha. Péssima cozinheira, ótima de apetite. Já fez muitas coisas legais na vida, mas nada tão legal quanto o Benjamin e o Tom, os filhos. Por causa deles, pensa a maternidade meio que o tempo todo. Essa inquieta adora viajar e tem medo de galinha – menos no prato.

Comentários no Facebook