Tenho vivido algumas situações que me deixam com vergonha de ser adulta e ter que explicar o que é ser adulto para meus filhos. Na frente da escola do meu filho mais velho tem uma placa: proibido estacionar. Carga e descarga permitida.

O que acontece? Carros estacionados. carros em fila dupla. Mil buzinas. Todo dia eu fico constrangida. TODOS OS DIAS. Desde fevereiro, não teve nenhum dia em que não tivessem carros estacionados na vaga destinada ao embarque e desembarque.

É grave? Pra mim é. Muito. Como vou falar pra eles sobre isso? Eles não entendem porque tem que caminhar cinco quadras enquanto os colegas sobem e descem na frente da escola. (nem penso em entrar aqui na conversa de carro/transporte público, isso rende outros textos…)

Fila dupla é inaceitável. Mas fila dupla em frente de escola, pra mim é ainda pior. Porque como pais, cobramos várias posturas da escola na educação de nossos filhos. E não conseguimos respeitar o básico do básico: não estacione onde é proibido. não parar em fila dupla. O que estamos ensinado para os nossos filhos? O que não nos foi ensinado? O que nos negamos a aprender?

Tem um funcionário da escola que fica ali parado, acompanhando a entrada e saída das crianças. E ele nunca disse nada. A diretora da escola vê. E nunca disse nada. Eu vejo. E nunca disse nada. Fico constrangida de falar. E fico com vergonha por não falar. Alguém teria que falar sobre isso. Já me perguntei sobre quem deveria falar sobre isso, mas a única coisa que consigo pensar é que não precisaria alguém falar se existisse o mínimo de respeito com os outros. não só os outros pais, não só os vizinhos (uns santos que aturam isso todos os dias!! Um beijo, vizinhos!!!!), não só aos pedestres. É um desrespeito geral, ali a única coisa que importa é que tu precisa resolver a tua vida. Então se tu pode ficar ali parado numa vaga que é para embarque/desembarque, tu também deve poder estacionar mesmo em fila dupla, não precisa parar na faixa de segurança para o pedestre, não precisa deixar a ambulância passar… Para os pais que deixam seus filhos de carro na escola, meu pedido, por favor, um pouquinho de respeito. E não adianta depois vir falar mal dos políticos, por favor…

Confesso que fiquei com vergonha de escrever sobre isso. Num mundo onde tem gente morrendo de fome, gente sem casa, sem o mínimo do mínimo de dignidade, eu escrevo sobre não conseguirmos respeitar uma placa de trânsito…

Raquel Grabauska
Author

Ela respira teatro. Atriz, diretora, produtora. Coordena o grupo Cuidado Que Mancha e o Espaço Cuidado Que Mancha. Péssima cozinheira, ótima de apetite. Já fez muitas coisas legais na vida, mas nada tão legal quanto o Benjamin e o Tom, os filhos. Por causa deles, pensa a maternidade meio que o tempo todo. Essa inquieta adora viajar e tem medo de galinha – menos no prato.

Comentários no Facebook