Faz tempo que sinto vontade de ficar entediada. O tédio nunca fez muito parte da minha vida. Depois de dois filhos então, tédio inexiste. Cada dia é completamente diferente e inusitado. E olha, sou bem fã de rotina!

Na última sexta-feira eu estava de aniversário. Comemorei com amigos queridos. No sábado de manhã, trabalhei. Depois do trabalho, confraternização com os colegas e amigos. Esquecendo a idade que completei, resolvi sair pra dançar. Praticamente um Kerb!

.

Voltei às 4:30h!

Meus filhos acordam cedo. Sempre. Já estava preparada pra ter sono o dia todo. Mas…

 

.

Às 7h da manhã ouço um choro. Meio sem conseguir acordar, vou cambaleando em direção ao barulho. Meu marido já estava com o filho no colo. O filho com a mão na cabeça. Muita dor, lágrimas escorrendo. Acabou o meu sono. Isso foi domingo. Estou escrevendo na terça. Contem os dias comigo.

Na segunda-feira, quando a dor de cabeça cedeu, um dente resolveu nascer. Uma noite inteira de choro. Inteira. Uma agonia. Noite acordada, tentando dar carinho e conforto para aliviar a dor. Dia de zumbi. Hoje ele acordou completamente abatido. Olhos fundos. Dava para sentir todos os ossinhos do corpo.

.

No fim da manhã, parece que alguém ligou a criança na tomada. Riu, comeu, brincou. Respiramos novamente! Filho doente deixa a gente sem ar…

 

.

Como já estava disposto, resolveu se limpar depois de fazer cocô. Foi bonito. As costas, então, ficaram lindas. Arruma tudo pra dar banho – em Porto alegre, inverno, 11 graus. Aquece o banheiro, pega a roupa, pega toalha. Olho pro chão e tem uma bolinha que tá quase embaixo do meu pé. Não dá tempo de desviar, pisei.

.

Era um cocô. Não sei como. Na tentativa de não pisar com todo o pé no cocô, faço um movimento rápido e derrubo toda a xícara de café recém feito no outro pé. Um pé queimado e o outro… prefiro não rimar.

Preciso de um dia de tédio. Só um, por favor! 

.

A ilustração de hoje é do Tom. Ele nunca gostou de desenhar e, com esse desenho (claramente é um dinossauro rex!), inaugurou uma série de ilustrações e não parou nunca mais de  desenhar. Principalmente na hora de dormir.

Raquel Grabauska
Author

Ela respira teatro. Atriz, diretora, produtora. Coordena o grupo Cuidado Que Mancha e o Espaço Cuidado Que Mancha. Péssima cozinheira, ótima de apetite. Já fez muitas coisas legais na vida, mas nada tão legal quanto o Benjamin e o Tom, os filhos. Por causa deles, pensa a maternidade meio que o tempo todo. Essa inquieta adora viajar e tem medo de galinha – menos no prato.

Comentários no Facebook