Eu adoro fazer as festas de aniversário dos meus filhos. Sempre gostei. Achei que não ia gostar, que não ia dar bola. Daí arrumei uma comadre festeira que me fez me apaixonar pela ideia há quase 8 anos atrás. Nos últimos tempos tenho tido ajuda de amigas queridas. O que torna a maratona um encontro feliz, divertido. Acho que me divirto mais com os preparativos do que propriamente com a festa.

Hoje é meu aniversário. Ontem ele combinaram que me acordariam com beijos. Eu  tive insônia. Ele me acordaram às 6:30h com o beijos combinados. Meu marido quis preservar meus sono (isso é sempre um lindo presente de aniversário), eu preferi acordar meio grogue e ganhar aquele beijos felizes.

Meu filho  maior foi para a escola, meu filho menor foi pra sua escola de arte. Empolgado para ver meus  presentes. É complicado para uma mãe explicar pro filho que o melhor presente é aquele abraço, aquela ligação, aquela lembrança de uma amiga que tá do outro lado do mundo. E não necessariamente o presente em si. Como explicar o prazer de receber a visita do irmão no meio do expediente de trabalho? De tomar um café e conversar? Tudo isso pode ser melhor que um presente? Pra nós adultos, claro que sim…

Ele quis muito ver meus presentes. Eu expliquei que presente de adulto é diferente. Faz 3 meses que ele escolheu que minha festa tinha que ser do Thor. Teve o Thor no meu bolo hoje. Bolo lindo e delicioso, presente de amiga da vida.

Mas o ponto alto do dia foi:

Mamãe, abre teus presentes.

Já abri, filho.

Não, mamãe, abre teus presentes!!!

Já abri, meu filho!

Mamãe, abre teus brinquedos!!!!

Nesse ano não ganhei brinquedos. Ano passado meus meninos me deram um dinossauro de montar. De igual pra igual. Me deram um brinquedo que adoraram. Claro que adorei.

 

Hoje me senti do tamanho deles. Adorei soprar as velas junto.  Meu próximo aniversário vai ser de vampiro. Decidimos hoje.

Raquel Grabauska
Author

Ela respira teatro. Atriz, diretora, produtora. Coordena o grupo Cuidado Que Mancha e o Espaço Cuidado Que Mancha. Péssima cozinheira, ótima de apetite. Já fez muitas coisas legais na vida, mas nada tão legal quanto o Benjamin e o Tom, os filhos. Por causa deles, pensa a maternidade meio que o tempo todo. Essa inquieta adora viajar e tem medo de galinha – menos no prato.

Comentários no Facebook