Por mais aleatórios que sejam os rolês do bruxo, ninguém imaginou que Ronaldinho Gaúcho estaria preso no dia do seu 40º aniversário.  Ele e o irmão Assis estão detidos no Paraguai acusados de falsificação de documentos. Uma situação nada agradável para aquele que já teve o mundo aos seus pés, foi um dos melhores e desfilou uma habilidade poucas vezes vista. Coisa de Pelé, Garrincha, Messi, Maradona. Ou seja, de um grupinho seleto. Mas depois que largou o futebol, transformou-se em uma espécie de atração de circo. E agora o circo pegou fogo.
O Ronaldinho com 40 não sei se é muito diferente daquele que eu conheci pessoalmente em 2001, em Osório, numa pelada realizada no campo de futebol sete com grama natural que ficava nas dependências da Juvesa, uma revenda de automóveis FIAT, que ainda hoje existe. A situação criou-se assim. Sílvio Benfica, meu colega de Rádio Gaúcha, era amigo de infância do Sérgio, dono da revenda. E por conta dessa parceria, ele começou a encaminhar os mais chegados para comprar carros lá na Juvesa. Emplacamento, tanque cheio, IPVA grátis,desconto nas prestações…o cliente sempre ganhava uma facilidade. O Benfica aproximou os colegas da Gaúcha, inclusive eu, e conseguiu fazer com que o Assis comprasse um automóvel FIAT para o Ronaldinho lá na Juvesa. Provavelmente, o primeiro carro do futuro melhor do mundo tenha sido adquirido lá.
.
Pois, para festejar essa parceria, resolveram marcar um jogo entre a Rádio Gaúcha e o time do Ronaldinho
.
Imagine o Ronaldinho, em janeiro de 2001, com toda vitalidade dos seus 19 anos jogando contra uma gurizada que gostava de futebol, mas que não jogava nada. A exceção era o Rafael Colling que, por causa dos seus cabelos ruivos, era chamado de Barão Vermelho. Mas independente da cor dos cabelos, a verdade é que o Colling jogava bem, mesmo, Inclusive, fez muito sucesso na várzea de Montenegro e arrepende-se até hoje de não ter tentado a carreira profissional.
O jogo estava marcado para às sete da noite. Seis e quinze nós já estávamos lá aguardando a chegada do adversário. Chegou sete da noite e nada do Ronaldinho. Sete e meia, e nem sinal. Oito da noite recebemos a informação que a delegação está a caminho. Termina a Voz do Brasil e começa a programação esportiva no rádio.O Show dos Esportes, na Gaúcha, abre com a notícia da contratação do técnico Tite pelo Grêmio. E o novo treinador é colocado na abertura do programa para falar com os apresentadores. Nesse meio tempo, chega a van com o time do Ronaldinho. Dela descem Ronaldinho, Assis, Baidek, Almir, João Antônio, os primos e tios do Ronaldinho, enfim, um elenco muito melhor que o da Gaúcha.
Foto: Grêmio / Divulgação
Com a agilidade costumeira de grande repórter, o Benfica puxa o Ronaldinho e o coloca ao vivo para falar com Tite. os dois trocam algumas palavras e o craque é liberado para iniciar os preparativos para o grande duelo. à aquela altura, Assis já tinha encaminhado a saída do irmão para o Paris Saint Germain, mas o fato ainda não estava consumado.ou seja, o garoto ainda era adorado por todos, inclusive pelos gremistas. E todos queriam um autógrafo ou tirar uma foto ao lado do craque, incluindo o pessoal da rádio.
Começou o jogo e o time da Gaúcha teve um rodízio de goleiros. Foram uns quatro ou cinco. Pois todo mundo queria jogar uns minutinhos para poder dizer que defendeu um chute ou sofreu um gol do Ronaldinho que jogou sem fazer força. Ele brilhou e deixou os parceiros correrem por ele. Por incrível que pareça,o jogo não terminou em goleada. A vitória do time do Ronaldinho foi pela diferença mínima. Tipo 11 a 10 ou 10 a 9.
Todo mundo saiu satisfeito do jogo.Menos o Colling que deixou o gramado de cabeça baixa e resmungando. Vendo aquela cara contrariada, como capitão do time, perguntei o que tinha acontecido e o Barão Vermelho respondeu;
– Não dá pra aguentar esses caras. Fiquem se “fresqueando” só porque é o Ronaldinho. e a gente tivesse caprichado dava para ganhar – desabafou o Colling.
Eu olhei para ele e respondi:
– Peraí, tu acha que a gente iria ganhar do time do Ronaldinho? Tu tá louco. Se nós fizéssemos 100 gols, ele ia lá, na brincadeira, e faria 101. Não tinha como, Colling!!!
Minha explicação não convenceu. O Colling foi para o banho, não falou com ninguém e só se acalmou na hora do churrasco. Estava sentando com o pessoal da Gaúcha e na outra mesa, de frente para ele, os irmãos Moreira, o dono da revenda e o Benfica. Nisso, o Ronaldinho cutuca o Benfica, aponta para o Colling e diz:
– Ô, Sílvio, esse alemão joga bola, hein?
Essa frase fez o mundo do Colling mudar, Imagina ser elogiado pessoalmente pelo Ronaldinho? O craque da Gaúcha não precisava de mais nada. A sua noite estava completa.Ele até esqueceu a derrota de minutos atrás.  Aquela frase dita por Ronaldinho foi como a realização de um sonho. A sua fisionomia se transformou e ele transformou-se em uma outra pessoa.
Tanto é verdade que no dia seguinte, a primeira coisa que ele providenciou foi transformar a foto tirada antes do jogo ao lado do Ronaldinho, num poster gigante. A imagem foi captada num celular rudimentar e a iluminação era precária. e o resultado final não foi muito bom. Azar. Mesmo assim, ele fez o poster, colocou numa moldura e pendurou num lugar nobre da sala exatamente no local onde ficava a foto do seu casamento. Ou seja, o Colling trocou a esposa pelo Ronaldinho.

Comentários no Facebook